sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Dicas para contadores de histórias - créditos Blog do Gandavo - Laerte Vargas

1- Evite tomar gelado um dia antes e no dia da sessão,

2- Não tome suco de laranja no dia, pois provoca muco,

3- Leve uma maçã pequena para a sessão e a saboreie minutos antes sem lavar a boca depois,

4- Chegue com antecedência no espaço e caminhe por ele explorando todas as suas possibilidades e dimensões,

5- Se perceber que o ar condicionado está muito intenso, inspire suavemente pelo nariz ( para aquecer o ar ) e expire pela boca,

6- Faça exercícios para soltar o pescoço e ombros;

7- Aqueça sua voz com mantras. Se estiver acompanhado(a), peça para o outro avaliar sua projeção de voz indo até o fundo do espaço, nem baixa, nem alta demais: convidativa.
8- Abra bem a boca fazendo a,e,i,o,u e u,o,i,e,a.

9- Verifique se atrás de você existem painéis muito coloridos que possam dispersar ou “roubar” a atenção. Circulação de pessoas atrás de você, contador, nem pensar !

10- Água na temperatura ambiente sempre perto de você: um dos pré-requisitos para uma voz colorida é uma boa molhada;

11- Use um banco desconfortável: as poltronas muito “confortáveis” acabarão deixando você dobrado e com o diafragma pressionado,

12- Use roupas com cores discretas: quem tem que marcar presença é a história!

13- Quando o público entrar, já esteja no palco esperando seus convidados: assim é que se comporta um bom anfitrião.

14- Convide os ouvintes a desligarem seus celulares e solicite que, caso haja necessidade de saírem, o façam entre uma história e outra.

15- Não faça sessões muito longas: quarenta e cinco minutos de sessão envolvendo, no máximo, seis histórias é de bom tamanho.

16- Lembre-se sempre que uma sessão deve envolver contos com características bem diferentes um do outro; salvo se for uma sessão temática. Mesmo assim, procure entremear histórias viscerais e densas com outras leves e divertidas,

17- Eu, particularmente, opto por programar os contos mais longos para a primeira metade da sessão,

18- Contos de encantamento precedidos por lendas podem remeter demais à introspecção. Procure pontuar um e outro com facécias, contos de exemplo e de animais,

19- Olhe a platéia convidando. Se identificar aqui e ali um ouvinte mais desatento, conte um tempo para ele; mas com o cuidado de não torná-lo o que, às vezes, os irrequietos querem: ser o alvo das atenções.

20- Perguntas devem ser respondidas no limite exato. Não deixe que as intervenções comprometam sua sessão.

22- Não infantilize seus ouvintes impregnando a contação de diminutivos;
Seja feliz: este momento é uma celebração. Não sofra.

Visitem os blogs do Laerte Vargas, link aao lado

Beijos, bom final de semana a todos!!!

3 comentários:

luciana disse...

Obrigada pelas dicas.
Vou precisar melhorar minha prática.
Amo histórias, mas chega uma certa data do ano que minha voz quase some...
Fica com Deus.
Abraços
Luciana Bernardo
http://conhecerensinareaprender.blogspot.com/

C. A. Braz disse...

Nossa! puf...puf...quanto trabalho! Mas essa é mesmo uma arte fascinante. Parabéns. :)

Projeto Vagalume disse...

Maravilha de dicas! Agora aperfeiçoarei ainda mais minhas técnicas.

Estou linkando vc no nosso blog.

Abraços